Calcular o som da igreja é essencial para que os fiéis possam acompanhar a celebração e para que os vizinhos não sejam incomodados com o barulho. Assim como nos ambientes residenciais e comerciais, a sonorização de uma igreja precisa considerar uma série de características específicas.

Uma coisa é comum nos projetos de sonorização: o objetivo de uso do som influencia de forma decisiva no projeto. Para saber como calcular o som de uma igreja é necessário observar suas rotinas, seus rituais e a quantidade de pessoas envolvidas. Apesar de não existir uma regra ou receita de bolo, alguns fatores podem ajudar a guiar as decisões para montar o projeto da sua igreja:

1. PISO: pisos de cerâmica, porcelanato e alvenaria, em geral, aumentam a reverberação sonora. Ou seja, provocam uma vibração incômoda do som, que não permite entender com clareza o que está sendo falado. Já os pisos de carpete eliminam essa reverberação e proporcionam melhorias para a sonorização;

2. MATERIAIS DUROS: pilastras, bancos sem estofado e outros móveis também podem prejudicar a sonorização. Os assentos podem receber almofadas e estofados para minimizar a reverberação;

3. ESPAÇO VAZIO: igrejas muito grandes nem sempre estarão lotadas. O natural é que o público se distribua entre os dias e horários, mas isso não é possível de controlar. Esse vazio favorece a reverberação, pois quando as igrejas estão cheias, as pessoas se tornam pontos de absorção do som.

4. PÉ DIREITO ALTO: as igrejas, em geral, possuem duas características comuns: são grandes e têm pé direito alto. Esses dois fatores prejudicam a sonorização, pois ampliam o alcance do som e aumentam a reverberação. A solução para eliminar esses fatores seria fazer um tratamento acústico. Uma alternativa mais econômica é fazer um projeto de sonorização que proporcione mais equilíbrio acústico para o ambiente.

Passo a passo de como calcular o som de uma igreja


A primeira pergunta que deve ser feita é: por que a igreja precisa de um projeto de sonorização? As possibilidades são infinitas, mas os recursos são limitados. Definir o objetivo principal ajuda na hora de priorizar o investimento.

Entre os fatores que motivam a sonorização da igreja, os principais são a melhoria da qualidade do som para os fiéis (da porta para dentro) e a redução de ruídos gerados na vizinhança (da porta para fora).

Existem diferentes tipos de religiões, com construções físicas próprias, rituais, práticas e comportamentos muito variados dos fiéis. No caso das que têm apresentações musicais – praticamente um pocket show – é necessário um tipo de solução. Para as outras, o enfoque é na voz de quem celebra o encontro.

Essas características influenciam no tipo de sonorização, já que o profissional terá que pensar em equipamentos que conversem com aquele determinado comportamento e atenda à necessidade do grupo.

Não se baseie em projetos já existentes, de outras igrejas, para decidir o que será feito no seu projeto. Cada ambiente, grupo de fiéis e local apresentam suas características e é fundamental que todos os fatores sejam considerados. Fazer uma sonorização por conta própria é arriscado.

Um profissional com conhecimento técnico e experiência para lidar especificamente com projetos para igreja consegue identificar quais os melhores recursos e onde os equipamentos devem ser posicionados.

Está convencido de investir em uma sonorização profissional para sua igreja? Aqui na Alfibras a gente te ajuda com seu projeto.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You May Also Like